"Our duty is to feel what is great and love what is beautiful - not to accept all the social conventions and the infamies they impose on us."

In Madame Bovary de Gustave Flaubert

sábado, 29 de março de 2008

...Elevador da glória...


...Quero ser assediado por ti, por essas pernas esguias e torneadas, pela longa racha da tua saia.
...Sentir a liga segurar as tuas meias e perceber que não trouxeste cuecas...
...Puta...
...Quero foder-te no elevador... levantar-te em peso e empalar-te no meu caralho.
...Sente... geme... urra... goza...



...Bloqueias o elevador... pedes-me que te coma por trás...
...com força... sabes que o tempo urge e a excitação aumenta a cada segundo...
...num urro final vens-te... venho-me de seguida...
...Desbloqueio o elevador...
...sais á minha frente... a menear as ancas com andar safado...
...noto o risco branco discreto a descer nas tuas meias...
... a minha esporra marca o meu território...

2 comentários:

♀ Venus disse...

Tu é muito safado...
Tu tens muito tesão...
Tu é homem, tu é humano.

Amei o poema, principalmente a parte final: ...noto o risco branco discreto a descer nas tuas meias...
... a minha esporra marca o meu território...

Espectáculo!

Uma Loira sem principios disse...

vou adicionar as minhas fantasias..