"Our duty is to feel what is great and love what is beautiful - not to accept all the social conventions and the infamies they impose on us."

In Madame Bovary de Gustave Flaubert

quarta-feira, 2 de abril de 2008

...Indiscrições...

Fez questão de se deslocar para festa no seu Mercedes SLK... o Valet encarregou-se de o estacionar, não sem antes olhar fixamente os seus olhos verdes num breve momento de hipnotismo...

Aquelas festas de ricos irritavam-na profundamente... o snobismo pairava no ar em todos locais daquele magnifico palácio do Séc. XVIII e a vaidade tendia a ser libertada por todos os poros dos convidados da distinta guestlist...

Ao entrar no salão principal destacavam-se os dois lustres centrais em cristal com longos filamentos pendentes do tecto. O Bar mais próximo ficava do outro lado do salão, junto a um pequeno palco reservado a um DJ... Atravessou o salão perscrutando os convivas que já tinham chegado tentando reconhecer alguém...

Ninguém...


Pediu um Xerez... o barman demorava-se... enquanto aguardava continuou a sua procura por alguém seu conhecido...

Ninguém...

Sentiu-se observada... pegou no Xerez e degustou-o deixando-lhe a boca envolta na doçura única daquele vinho espanhol..

Olhando em redor percebeu uma presença solitária que a fitava... um olhar encantador... num rosto de menino, de faces suaves...

Ele esboçou-lhe um leve sorriso... segundos depois dirigiu-se para um corredor lateral...
Sem perceber porquê seguiu os seus passos. Era o acesso aos quartos de banho. Entrou no feminino e olhou-se ao espelho... sentiu-se especialmente sensual! Com um vestido suave negro colado ao corpo, encimado por uma écharpe vermelha semitransparente... Saíu calmamente e chocou com alguém...

Era ele... O homem que a observara momentos antes no salão... de perto tinha uma aspecto forte, não obstante a cara de menino... A Camisa negra desapertada deixava sobressair os contornos do peito definido...

- Perdona-me! te encontras bién? Yo soy un pouquito descuidado!

Ficou paralisada ao sentir o perfume...

- Sim, estou bem...
- Me llamo Juanes... te esta gustando la fiesta?
- Nem por isso... não conheço ninguém... O meu nome é Vitória!

Aquela voz ressoava-lhe nos ouvidos com um encanto que só um D. Juan consegue... deixou-se levar... seguiram a lentamente até ao salão trocando trivialidades...
Convidou-a para ir até um pátio no primeiro piso, com vista sobre um jardim de recorte clássico onde se ouvia o ecoar de uma fonte bem perto...

Ao passar pelas portadas de vidro, Juanes colocou a mão nas costas dela incentivando a sua passagem...

Estremeceu ao sentir a mão tocá-la, firme....

-Me gustan tu ojos...

Pegou-lhe no braço com ternura e beijou-a longamente... Os lábios carnudos cederam com facilidade ao encanto do jovem espanhol... Gostava de ser cortejada mas estava a ultrapassar os limites habituais. Deixou-se levar e correspondeu ao beijo ardente do seu amante!

A mãos de ambos tocavam-se de forma hesitante como dois jovens inexperientes...

- Quiero más..
- Alguém pode ver...
- que importa... se juntaran a nosotros!!!

Não era de se deixar levar por situações arriscadas mas a excitação que sentia...e o friozinho no estômago provocado pela situação empurravam-na a prosseguir... mesmo sem o controlo da situação avançou... puxou-o para si e encostaram-se a uma parede...

Juanes agarrou-lhe forte a coxa musculada por anos de Aeróbica... As mão dele percorriam-lhe todo o corpo, ora os seios discretos, hirtos de tesão, as nádegas firmes... puxava-lhe os cabelo com vigor enquanto lhe beijava e mordiscava o pescoço..

Ela abre os olhos e perscruta á sua volta... no jardim vê uma pessoa...

Era o Valet do estacionamento... observava atentamente o que se passava no pátio superior!

Vitoria desprezou o facto e deixou-se levar... sentiu-se bem ao ser observada e isso aumentou-lhe a tesão!

- Come-me... Se me queres foder, fode-me agora...

A mão de Juanes colou-se por baixo do vestido puxando o fio dental para o lado... abriu o fecho num ápice e encostou a cabeça do pau na entrada da cona molhada de Vitória...

- Mete-o.. Já... - Enganxando a perna no amante, puxou-o com vigor e forçou a entrada do bracamarte na sua fenda inundada...

Juanez investia fortemente...

O Valet permanecia imóvel a apreciar aquele espectáculo gratuito... Vitória nunca pensara em ter tanta tesão ao ser observada e puxava o seu improvável para para si.. para sentir bem no fundo as suas investidas...

Sentiu um ardor no pescoço... certamente ficaria com a marca daquele chupão no pescoço...

Gozou intensamente... num orgasmo em situação proibida... Sentiu o leite do parceiro jorrar dentro de si...

Enquanto se recompunha da situação olhou em busca do inusitado espectador... desapareceu...

A festa estava no seu auge... após uma curta passagem pelo quarto de banho dirigiu-se á saída.... Já tinha tido a sua festa...

Procurou o Valet e pediu-lhe para trazer o automóvel... Olhando-o nos olhos, sorriu e lançou uma provocação...

-Gostaste do que viste?!
A medo, murmurou um hesitante sim...

Colocou-lhe algo no bolso do Smoking e entrou no Mercedes e desapareceu na estrada...

Deixara-lhe o fio dental como recordação... Nem ela nem o Valet iriam esquecer aquela noite...

4 comentários:

♀ Venus disse...

Hmm, hmm...
Essas situações são fantásticas. Tesão o quanto baste e um parceiro pra satisfazer.
Maravilha.

Nada destas histórias são reais né?

O Sussurrar do Corpo disse...

Obrigado pela visita...beijo.

Bichinho disse...

Huuuummm.
Beijo famtasma.

GataHari disse...

Lindo! Amei a história......amei e pinguei....